*
*
*
*
*
*
*
.: Mauro Gama :.

Gestação

Vi as uvas
e as vulvas vivas
em meio ao vórtice
(e aos vértices)
das vozes.

Ouvi os uivos
das covas e das raivas
no avesso ruivo do vinho:
e a voz vermelha de Estela
era uma vela em vômito
acesa e vísceras.

Era tão belo o flagelo
tão pararela a pantera
que os ecos riscavam os mares
e a tarde pálida arcava
ao peso obeso dos bares.

Berrava a Berta na noite
se ouviram açoites e galos
gemidos garras estalos:
tomaste estrelas e grelos
no gargalo.

---------------------------

Clique para escolher outro poema